Qual é a diferença entre luneta e telescópio?

10:00 | da Redação

Os astrônomos já não olham para o céu em busca de novas estrelas e planetas. A luneta apontada manualmente para o alto perdeu espaço. Hoje, o alvo da atenção dos especialistas é o computador, que registra dados obtidos por telescópios poderosos, como o Gran Telescopio Canarias (GTC), o maior do mundo, ou o Hubble, entrando na órbita de sua aposentadoria.

O telescópio
Planetas, satélites, estrelas, galáxias e outros corpos astronômicos podem ser observados por meio de um instrumento óptico chamado telescópio. A palavra advém do grego "tele", longe, e "scopio", observar. Mas, ao contrário do que se imagina, o telescópio não aumenta o tamanho dos objetos. "O telescópio permite captar uma quantidade de luz maior do que a pupila humana e, portanto, permite enxergar objetos com brilho muito fraco, que não são visíveis a olho nu", explica Fernando Roig, doutor em Astronomia e pesquisador do Observatório Nacional, no Rio de Janeiro.

A luneta
Assim como o telescópio, a luneta também permite observar objetos longínquos. A luneta, no entanto, constitui-se de um tipo específico de telescópio, o refrator, que possui restrições em comparação com o telescópio refletor. Enquanto os telescópios refratores, chamados popularmente de lunetas, usam lentes como objetivas, os refletores utilizam espelhos. De acordo com Enos Picazzio, astrônomo do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG) da Universidade de São Paulo (USP), os refratores produzem uma aberração cromática, isto é, a imagem não tem boa definição, afinal, cada cor de luz tem distância focal diferente. Já os espelhos não produzem essa distorção

Fonte: Terra

0 comentários:

Postar um comentário