Conheça Liberland, o suposto novo país da Europa


Em um território de apenas 7 km² entre a Sérvia e a Croácia, o político tcheco Vit Jedlicka tenta fundar um novo país. E é o que ele alega ter feito em 13 de abril, quando acompanhado de um grupo de cidadãos da República Tcheca hasteou a bandeira de Liberland, “um país que se orgulha da liberdade pessoal e econômica do seu povo”.

Desde então, o país em tese criado por Jedlicka recebeu mais de 225 mil pedidos de cidadania. Para ser “elegível”, explica o site oficial, é necessário “ter respeito pelas pessoas e suas opiniões”, “respeito pela propriedade privada, que é intocável”, “não ser comunista, nazista ou ter qualquer passado extremista” e “não ter sido punido por crimes no passado”.

Autoproclamado o presidente de Liberland, Jedlicka diz que o território é uma espécie de terra de ninguém, sequer disputado pela Sérvia e Croácia. O novo “país”, cuja Constituição “limita o poder dos políticos para que não intervenham nas liberdades da nação”, teria então sido estabelecido de modo a “não interferir no território” destes Estados.

Em uma coletiva de imprensa realizada nesta semana, o “líder” de Liberland contou que a ideia é que o pagamento de impostos seja opcional. A maior parte da energia elétrica será baseada em energia solar e, ainda segundo ele, já existem pessoas interessadas em investir no desenvolvimento da infraestrutura de telecomunicações.

No Facebook, a página de Liberland cresce. Até o momento conta com quase 115 mil curtidas e postou nesta manhã que está em busca de um “diplomata qualificado com anos de experiência em relações internacionais”. Dezenas de pessoas já se candidataram ao posto nos comentários.

Apesar do aparente sucesso nas redes sociais, ainda não está claro se este país de fato virá a existir ou se a história não passa de uma farsa. Para a revista Time, Jedlicka explicou que tudo começou como uma brincadeira para chamar a atenção da mídia, “mas agora está se tornando um projeto de verdade e com apoio real”.


Da parte da Croácia e da Sérvia, não há manifestações quanto ao surgimento de Liberland. Contudo, contou o jornal The Washington Post, um grupo de jornalistas que tentou chegar até o local foi barrado na fronteira por autoridades croatas e foi informado de que a bandeira hasteada para demarcar o território havia sido removida.

Para um especialista em direito internacional ouvido pela agência Prague Monitor, não é possível crer que estes países não tenham interesse no território reivindicado por Jedlicka e ele enxerga como “improvável” que Liberland venha a se tornar um novo país na Europa. “Eu presumo que tudo isso não passe de uma piada”, disse.

Fonte: Exame

Nenhum comentário:

Postar um comentário