Pesadelos podem ajudar a sua saúde mental


Você acordou suando frio após sonhar, de novo, que era perseguido por um monstro estranho, que estava sem roupa na escola ou que algum ente querido havia passado dessa para melhor. Pesadelos são horríveis, claro, mas a ciência mostra que há um lado bom para eles.

Primeiro, saiba que você não está sozinho. Uma pesquisa feita em 1990 mostrou que 47% dos participantes tinha pelo menos um pesadelo a cada 15 dias.

Pesquisadores ainda não sabem afirmar ao certo qual é o motivo pelo qual sonhamos, mas uma teoria afirma que os pesadelos são uma forma de liberação emocional, permitindo que o nosso cérebro processe as ansiedades do dia. Afinal, estudos mostram que são as coisas que nos preocupam durante o dia que continuam a nos atormentar durante o sono, mesmo que de uma forma menos clara (e bem mais nosense). Uma pesquisa mostrou que pessoas que tiveram um acidente de carro têm 4x mais pesadelos do que outras. O cérebro pega nossas preocupações e as transforma em uma história: o seu pesadelo.

Mas nessa transição acontece algo diferente: nossos medos, antes causa de ansiedade, acabam sendo transformados em memórias. E, em sua maioria, lembranças são mais fáceis de serem processadas pelo nosso lado emocional do que expectativas. Sim, lembrar de um pesadelo ruim pode te deixar mal - mas o cérebro lembra dele como se fosse algo do passado e não algo que ainda pode acontecer. Faz sentido?

De qualquer forma, não deixe que pesadelos o impeçam de dormir - ficar com insônia e extremamente cansado depois pode lhe render mais problemas.

Fonte: Galileu

Nenhum comentário:

Postar um comentário