A verdadeira história de amor que aconteceu no Titanic

12:51 | da Redação

Esqueça aquela história de amor que você assistiu em “Titanic” de James Cameron. Com o passar dos anos, muitos segredos e histórias do mais famoso naufrágio da história, foram revelados ao público. Acontece que um romance realmente aconteceu a bordo do RMS Titanic em 1912. As partes em questão foram Emilio Portaluppi – um pedreiro italiano com um bilhete de segunda classe, e Madeleine Astor – talvez uma das mais renomadas passageiras do Titanic. Curiosamente, Portaluppi estava a bordo do Titanic como um convidado da família Astor.

Portaluppi era um pedreiro respeitado e talentoso que trabalhou nos prédios da Bolsa de Valores de Nova Iorque. O homem queria visitar sua família na Itália e estava programando para retornar para New Hampshire no Oceanic II – um dos maiores navios da época. No entanto, um telegrama da família Astor trouxe um convite para ele se juntar a eles como um convidado a bordo do Titanic.

Os Astors aparentemente queriam que Portaluppi trabalhasse em estátuas colocadas fora da sua vila em Newport. Na noite em que o Titanic bateu no iceberg, Portaluppi estava jantando com os passageiros da primeira classe, chamando a atenção para uma imagem que se assemelha a cena da sala de jantar do filme.


No entanto, há boatos de que a relação entre Portaluppi e Madeleine Astor tinha florescido em algo maior do que o profissional. Portaluppi teve o que poderia ser chamado de “uma queda” pela Sra. Astor, e enquanto não se sabe se a senhora retribuiu seus sentimentos, ainda há o fantasma de uma possibilidade.

Portaluppi sobreviveu ao naufrágio assim como Madeleine Astor. No entanto, o marido de Madeleine não teve a mesma sorte. A sobrevivência de Portaluppi está cheia de mistério por causa das várias versões que ele disse às pessoas ao longo dos anos. Pós-Titanic, ele lutou pela Itália na Primeira Guerra Mundial.


Portaluppi raramente falou sobre sua experiência a bordo do transatlântico, até os últimos anos de sua vida, quando ele voltou para a Itália. Esse é relato de sua viagem no Titanic contada aos jornalistas locais. Foi só então, através destas entrevistas, que surgiu um indício de uma conexão entre Portaluppi e Madeleine Astor.

Portaluppi morreu com 93 anos em 1974. Sua experiência no Titanic foi gravada em um documentário – “Os italianos do Titanic”. Madeleine Astor sobreviveu ao desastre e se casou novamente durante a Primeira Guerra Mundial. Ela morreu em 1940, com 46 anos.

Fonte: Daily Mail

0 comentários:

Postar um comentário