Por que as aranhas não ficam presas nas suas próprias teias?

11:15 | da Redação

Enquanto qualquer mosca, mosquito e outros insetos, ao caírem na armadilha, já não conseguem se desvencilhar de jeito nenhum, as aranhas, aparentemente, andam por suas redes de seda livremente e sem preocupação.

Até nós, humanos, se passamos pelo meio de uma teia formada, ou somente um fio que seja, já somos capazes de perceber que a coisa é realmente pegajosa e extremamente difícil de se livrar. Agora imagine você porque as tão temidas e odiadas (ou adoradas) aranhas não caem na sua própria emboscada. Consegue pensar em algum motivo para isso?

Técnica e habilidade

Bem, segundo um artigo do site About Education, a resposta mais simplificada é que as aranhas simplesmente têm muito cuidado ao se locomoverem entre as suas teias, encostando apenas a ponta de suas patas em cada uma das linhas com as quais têm contato. Já os insetos e humanos, quando tocam as redes de fios de seda produzidos pelos aracnídeos desse tipo, têm contato praticamente total com essas armações, e dessa forma, a aderência ao corpo é completa.


Não que as donas das teias estejam isentas de se prenderem, mas as chances de isso ocorrer são bem menores pela maneira que elas se movem sobre os fios. Além disso, as aranhas possuem outra técnica para evitar cair na própria armadilha. A cada passo, elas fazem uma espécie de limpeza em que passam as patas próximo à boca para raspar os detritos e restos de seda que eventualmente tenham ficado presos às suas garras ou cerdas. Isso provavelmente diminui a possibilidade de seu corpo se prender à teia, em caso de um passo em falso.

Nem todas as teias são pegajosas

Assim como há diferentes tipos de aranhas, suas teias também podem ser diferentes. A verdade é que na maioria delas, apenas os fios em espiral possuem características de aderência. A maioria das pessoas tende a acreditar que todas as teias são completamente pegajosas, mas apenas algumas áreas específicas da rede de seda possuem essa característica.


Geralmente, os raios, e também o centro da teia, local onde a aranha descansa, não são aderentes, logo ela consegue se locomover por toda o local sem maiores problemas. Há também alguns tipos de fio que possuem glóbulos de “cola”, com a substância distribuída por apenas alguns pontos dos quais a aranha consegue se esquivar. Há ainda algumas espécies que utilizam fios de seda inteiramente secos, sem aderência.

Muitas pessoas acreditam que as aranhas possuem um óleo lubrificante que não permite a aderência à teia.  A verdade é que elas não possuem glândulas que produzem esse tipo de substância e nem suas pernas são revestidas com algo parecido, portanto isso é falso.

Fonte: About Education

0 comentários:

Postar um comentário