Você sabia que a Estátua da Liberdade era para pertencer ao Egito?


Tá aí uma coisa que muita gente nem desconfiava: a Estátua da Liberdade, um dos símbolos mais poderosos e prontamente associados aos Estados Unidos, era para, originalmente, ter sido instalada em Porto Said, no Egito, e não em Nova York! De acordo com Erin Blakemore, do portal Smithsonian.com, a estrutura foi pensada para servir de “Colosso” na entrada do Canal de Suez.

Se você achou a revelação que fizemos acima surpreendente, temos mais uma informação inesperada: a intenção era a de que a estátua servisse para representar uma camponesa muçulmana, não a liberdade.

Camponesa muçulmana

Segundo Erin, a estrutura da estátua foi projetada por Alexandre-Gustave Eiffel, o engenheiro responsável por criar a Torre Eiffel, de Paris, e desenvolvida pelo escultor Frédéric-Auguste Bartholdi — que se inspirou nos monumentos núbios colossais que ele viu em Abu Simbel durante uma viagem que ele fez ao Egito em 1855.


Abu Simbel, caso você não saiba, corresponde a um importante complexo arqueológico que consiste em dois grandes templos — o de Ramsés e o de Nefertari — escavados na rocha e que ficam guardados por estátuas gigantescas. Pois Bartholdi ficou fascinado pelos monumentos e propôs a instalação de uma enorme estrutura para ser posicionada na entrada do Canal de Suez (que fica em Porto Said) na época de sua inauguração.

Bartholdi se baseou em figuras como o Colosso de Rodes para desenvolver a sua ideia, e imaginou a imensa estrutura na forma de uma camponesa — vestida com uma túnica e coberta por um véu — que representasse o Egito. O artista idealizou uma estátua que serviria de farol com pouco mais de 26 metros de altura situada sobre um pedestal com quase 15 metros e, em um primeiro momento, batizou a obra de “O Egito Levando a Luz à Ásia”.

Ideia reciclada

Conforme explicou Erin, Bartholdi chegou a apresentar o projeto de construção da estrutura a Isma’il Pasha — o então quediva do Egito —, mas, como muito dinheiro já havia sido investido na construção do canal, a proposta foi negada. No lugar da estátua, os egípcios instalaram um farol com cerca de 55 metros de altura em Porto Said, e o escultor francês, inabalado, “reciclou” sua ideia.


No fim, a estátua foi rebatizada de “A Liberdade Iluminando o Mundo” e foi presenteada pela França aos Estados Unidos em 1886 para marcar o centenário da aliança criada entre os dois países durante a Revolução Francesa. Aliás, a estrutura quase foi instalada em Manhattan — antes de Bartholdi finalmente decidir que ela ficaria perfeita na Ilha de Bedloe, hoje mais conhecida como Ilha da Liberdade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário