Conheça a festa boliviana que enfeita caveiras para homenageá-las

11:17 | da Redação

Talvez você já conheça o Dia dos Mortos, uma celebração mexicana realizada no dia 2 de novembro que relembra e homenageia a vida dos ancestrais da população. Ela existe desde antes da chegada dos espanhóis ao continente americano e é uma das maiores manifestações culturais do México.

Celebrações semelhantes existem por todo o mundo, em especial na América Latina. É o caso do festival que abordaremos aqui, que é comemorado em La Paz, na Bolívia e conhecido como Fiesta de las Ñatitas (lembre-se que no espanhol o ‘ñ’ tem som de ‘nh’).


Semelhante ao que acontece no país mais ao norte, o evento foi criado pelos nativos andinos que mantinham os ossos dos parentes próximos dentro da casa das famílias para que eles possam continuar tomando conta dos seus entes queridos.

Culturas diferentes também costumam lidar com a morte de diversas maneiras. Para os bolivianos que participam da fiesta, morrer pode significar apenas a passagem para uma outra fase da vida.

Apesar disso, a maioria das ñanitas (as caveiras da celebração) encontradas atualmente nas casas de La Paz não são necessariamente de amigos ou parentes que faleceram. Elas são adquiridas em escolas de medicina ou em sepulturas há muito abandonadas e expostas como amuletos de proteção.

Decorando as caveiras

No dia 8 de novembro, as pessoas se reúnem no cemitério da cidade levando suas ñanitas devidamente decoradas com todos os itens que tem direito. Chapéus, óculos escuros e cigarros. Vale tudo para enfeitar os objetos.


Os católicos espanhóis bem que tentaram acabar com essa tradição no século 16, forçando os nativos a se converterem ao cristiano, da mesma forma que aconteceu no Brasil. Os costumes de fato perderam a força nos grandes centros urbanos, mas continuaram vivos no interior do país.

A partir dos anos 1970, quando a população rural começou a cair vertiginosamente na Bolívia – que caminhava para se tornar um país urbano –, muitos fazendeiros migraram para La Paz e levaram suas tradições com eles.


Foi quando o Dia de las Ñanitas voltou a ganhar força e a ser mais aceito. Nos últimos anos, as celebrações no cemitério reuniram uma média de 10 mil pessoas que levam suas ñanitas, deixam flores e se divertem com a música local.

Fonte: Smithsonian

0 comentários:

Postar um comentário