Os escudos mais curiosos do futebol brasileiro

Uma coisa é ter um uniforme estranho, que na temporada seguinte acaba mudando e voltando ao normal. Outra coisa é ter um escudo bizarro. Disso, estes clubes jamais se livrarão.

Grêmio Catanduvense de Futebol


Catanduva é conhecida como a cidade feitiço. Por isso, a mascote do clube é uma bruxa, presente no escudo do clube.

Minas Boca Futebol


Fundado em 2011 por dirigentes do Democrata, o clube de Sete Lagoas já se chamou Minas Futebol Brasil. Em 2013, o clube foi comprado por um empresário que possui um jornal na cidade. É daí que vem o menino jornaleiro no escudo. O Minas Futebol mudou de nome para Minas Boca, pois seu novo proprietário é fã do Boca Juniors, da Argentina.

Catuense


A Catuense já chegou a disputar a Série A do Brasileiro na década de 1990. Nos anos 2000 tornou-se Sociedade Anônima e resolveu mudar de escudo. O distintivo atual possui listras estilizadas em vermelho e preto e, por isso, merece estar nessa lista como representante baiano.

Ypiranga


O representante pernambucano, criado em 1938, vem da cidade de Santa Cruz do Capibaribe, polo têxtil do estado. Por causa disso, o símbolo do clube leva no centro de seu distintivo uma máquina de costura.

Sousa


A cidade de Sousa é conhecida principalmente por ser importante sítio arqueológico; uma região de aproximadamente 40 hectares nas cercanias da cidade constitui o Monumento Estadual do chamado Vale dos Dinossauros, por isso da menção ao Dino no escudo.

Marcílio Dias


O Marcílio Dias, na realidade, foi fundado em 1919 como um clube náutico da cidade portuária de Itajaí – o que explica a âncora. Seu primeiro esporte foi o remo, também presente no escudo. As cores são uma homenagem a dois clubes náuticos de Florianópolis: Riachuelo (azul) e Martineli (vermelho).

Icasa


O time da terra de Padre Cícero, Juazeiro do Norte, como conhecemos hoje, é relativamente novo, de 2002. O nome significa Indústria e Comércio de Algodão S/A, uma empresa da região. Seu escudo simboliza uma engrenagem, em referência à indústria do fundador, José Feijó de Sá. A então primeira versão do clube, de 1963, era chamada de Icasa Esporte Clube (hoje se chama Associação Desportiva Recreativa Cultural Icasa).

Francisco Beltrão


O escudo do bicampeão da segunda divisão estadual traz um criativo design das letras iniciais do clube, o “F” e o “B”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário