6 coisas nojentas que já viraram ingredientes de cervejas

A cerveja é uma bebida famosa e apreciada no mundo todo, e agora chegou a vez de conferirmos algumas receitas que contam com ingredientes inusitados e até mesmo nojentos. Confira 6 exemplos:

1. Pelos faciais


John Maier, um cervejeiro muito conhecido em Oregon, nos EUA, usou uma forma diferente para produzir a cerveja: ele usou levedura coletada de sua própria barba. Eca!

2. Cuspe


Chicha, uma tradicional cerveja peruana do tempo dos incas, é feita à base milho com algumas cusparadas. Como a nossa boca possui enzimas e bactérias, os cervejeiros incas usaram essa secreção para substituir o processo de maltagem. O milho começa o processo de fermentação sendo ativado pela mastigação e umedecido pela saliva para depois ser cuspido na mistura da cerveja.

3. Cérebro de cabra


A Dock Street Walker é uma cerveja perfeita para quem adora o universo zumbi: na impossibilidade de comer cérebros humanos, você pode beber esta iguaria feita com cérebro de cabra e mirtilo! Achou estranho? Calma! O órgão é assado antes de ser adicionado à receita.

4. Testículo de touro


Em alguns lugares do mundo é bastante comum consumir esse órgão na forma de um churrasquinho, portanto, era natural que em algum momento ele entresse em outras receitas. A Wynkoop Brewing Company, como sede no Colorado (EUA), entretanto, resolveu colocar os bagos em uma de suas cervejas! Na produção da bebida, são utilizados cerca de 25 kg de testículos assados para cada 8 barris.

5. Ácido lático vaginal


Chamada de Bottle Instinct (ou Instinto Engarrafado, em tradução livre), esta é uma criaçã da cervejaria polonesa The Order of Yoni. Ela é preparada com um fermento natural bastante inusitado: bactérias vaginais.

6. Grão de café excretado por elefante


A produção da cerveja Un Kono Kuro, da Sankt Gallen, tem como ingrediente exótico o grão de café. Porém, só são usados os grãos que tenham sido excretados por elefantes. Que nojo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário